Dentre as pessoas que aqui em Andaraí merecem destaque, eu destaco a pessoa do meu irmão José Maciel Neves, que se tornou, vindo da faculdade de Salvador, o primeiro prefeito por voto popular.

Ao ver o retrato me vem à cabeça a figura do meu irmão. Ele era um homem bonito, esbelto, elegante, moreno, olhos castanhos e muito sério, muito simples... Eu acho que isso me marcou muito, porque eu sempre lembro dele como aquele homem com aquela palavra calma, você poderia conversar uma hora e ele só fazia escutar, ele era de pouco falar, no fim, ele dava a opinião dele.

Os amigos dele diziam assim: “Ó Zequinha, você quase nasce mudo”, ele dizia: “Não, é que eu penso muito”. E me vem à cabeça essas coisas e também o exemplo que ele deixou, um homem de bem, mas dentro desse crescimento dele, ele foi incapaz de citar assim pra alguém que se tornou uma pessoa de mais condição, não, nunca...

Meu pai e minha mãe tiveram quinze filhos, doze vivos, e então esta casa onde tem essa sala foi feita para eu nascer, foi feita em 1934, oitenta e um anos, não é? Eu fiz oitenta agora no dia 06 de maio e ele dedicou muito amor a essa casa porque na época ele mandou pegar um grupo em Salvador que fez a Santa Casa da Misericórdia, inclusive o grande pintor que foi Juvenal, quem decorou.

Quando eu olho aquela sala eu lembro também das amizades de meu pai que vinham aqui, governadores de estado se hospedavam aqui em casa, pessoas assim, que foram figuras na história do Brasil, mas também pessoas simples que eram homens de bem, amigos de meu pai. E até hoje quando eu olho para essa sala eu me lembro de como foi difícil conservar a casa, conservar tudo como era.

Tudo é uma herança que se faz presente de acordo com os momentos que surgem, eu estou nessa casa que meu pai fez, eu tenho a lembrança, inegavelmente é cultura. Se não fosse essa memória passando de um pra outro, de um pra outro... Muita coisa deixaria de ser dita, né?

Eu acho uma coisa de muito valor, a lembrança de meu irmão e também o prazer que eu tive ao ver na internet essa publicação com um texto elogiando meu irmão, eu fiquei muito feliz, uma homenagem... Através da história, por que a história é a testemunha da vida!

< Compartilha essa lembrança >


Imagens


Gabinete imagem
Colectivo Infinitos Monos 2015 by Javier Cruz