Meu nome é Josenaldo Sena, meu apelido é Nanau Sena, mais conhecido como Nanau Sena. Eu comecei no trabalho com eletrônica, como técnico em eletrônica em 1973, então eu comecei com esse tipo de rádio, à válvula, e foi se adiantando, chegamos ao transistor, depois chegamos ao integrado, hoje nós estamos em HD.

Esse rádio foi de uma família que veio morar em Morro do Chapéu e trouxe para conserto, mas logo em seguida o pessoal faleceu e ficou a meu poder, há mais ou menos uns 20 anos. O mais interessante dele é que ele é da época da Segunda Guerra Mundial, então foi nele que se ouviu a guerra, os relatos da guerra, através dele, que era de um grande fazendeiro, os filhos herdaram esse radio e depois ficou no meu poder.

Ele pode funcionar só que precisa de antena, é uma burocracia e ele demora para aquecer, justamente porque é do período da válvula. Eu guardo sempre aqui nessa estante. Às vezes quando estou com a sala arrumada, ele vai mais para decoração, porque ele não trabalha mais em FM, é mais em ondas curtas e ondas médias, e ondas tropicais...

Eu não venderia esse rádio, ele é uma relíquia e é o carro chefe da eletrônica até pra quem não conhece, como várias crianças e quem está fazendo eletrônica, saber o que é um equipamento à válvula, envalvulado. Já me ofereceram R$5.000, tem um museólogo aí, ele sempre compra essas coisas antigas, mas eu não vendo. Eu lembro meus inícios de eletrônica.

< Compartilha essa lembrança >


Imagens


Gabinete imagem
Colectivo Infinitos Monos 2015 by Javier Cruz