Minha avó foi pra São Paulo, aí a minha tia me ligou falando que ia comprar uma boneca da Maria Joaquina pra mim, aí quando a minha avó veio de São Paulo ela estava em um saquinho, aí eu abri e minha avó falou bem assim: “Ah! Essa é a boneca que sua tia mandou pra você.” Aí todo dia quando eu acordava pegava ela pra mim brincar. Foi em 2012. Quando eu vejo ela, lembro da minha tia.

O nome dela é Ana Clara. Quando eu ganhei ela, eu brincava de mamãe e filhinha, de comidinha, bastante coisa. Ainda brinco com ela, aqui onde a gente tá a gente brinca bastante com ela.

Essa daqui eu ganhei agora em 2015. Eu ganhei da minha tia do Capão, que ela foi pra Salvador, aí minha avó trouxe ela e me ligou pra mim ir lá na casa dela buscar a boneca, aí eu fui lá mais a minha avó, a gente pegou a boneca e voltou para casa. Quando chegou aqui eu já comecei a brincar. O nome dela é Jeniffer.

Eu gosto das duas. Quando olho pra elas eu lembro das pessoas que me deram e eu sinto muita saudade da minha tia quando eu vejo essa boneca aqui [boneca antiga]. Eu sinto muita saudade dela. Eu tinha sete anos quando eu brincava com essa e agora que eu ganhei com nove anos essa daqui [boneca nova].

Quando eu tinha sete anos eu brincava aqui e lá na casa do meu avô e também essa boneca aqui [boneca antiga] eu emprestava para minhas colegas, pra ela ser a filha delas e eu ser a tia. A gente brincava.

< Compartilha essa lembrança >


Imagens


Gabinete imagem
Colectivo Infinitos Monos 2015 by Javier Cruz