[Maria da Gloria] Eu nasci em Seabra, meu nome é Maria da Gloria de Oliveira, tenho 48 anos. Tem 35 anos que eu moro em Palmeiras.

[Sabrina] Meu nome é Sabrina, essa boneca foi achada!

[Maria da Gloria] Foi no lixão. Achei no lixão, lavei e consertei para... ela não era nascida, ainda não... para outra. Ai já três filhas já vadiaram com ela... agora estou guardando ela de lembrança.

[Sabrina] Agora quem fica brincando é Lara.

[Maria da Gloria] Ela já tem uns 12 anos essa boneca, de muitos anos que eu catava no lixão, eu encontrei toda rasgada e eu costurei. As botas eu achei essa semana passada, lavei e ela está usando.

[Sabrina] Eu gosto dela porque eu brinco com ela, eu chamo a ela de bebê, não sei qual é o nome dela...

[Maria da Gloria] Fofão, de fofa.

[Sabrina] Agora ela não é homem, é mulher! Eu não brinco com ela todo o dia, às vezes...

[Maria da Gloria] Eu tenho 21 filhos e tem hora que eu passo necessidade muito para cuidar desses filhos, meu marido já está uma pessoa de idade, tenho um menino que está enfermo da cabeça, tem 11 anos. Minha bolsa família cortou a metade e eu recebo só 130 reais com Ceci na escola. Se ele trabalhar nós come, se não trabalhar, nós não come. Ai tem uma hora que eu vou ao lixão a catar alumínio. O Conselho Tutelar vem me xingando, aí eu não fui mais. Aqui tem muito vizinho que me ajuda também, que me ajuda e muito.

< Compartilha essa lembrança >


Imagens


Gabinete imagem
Colectivo Infinitos Monos 2015 by Javier Cruz